Além de homenagear este profissional fundamental para o mercado de fitness, o EVO quer também provocar uma reflexão no Dia dos Professores: qual o papel do gestor de academia no desenvolvimento do profissional de educação física em sua academia?

O Dia dos Professores é um dia de homenagens e festinhas nas academias e presentinhos, além de postagens emocionadas nas redes sociais. Mas para nós, também é um dia de reflexão sobre o desenvolvimento do profissional de educação física. 

Se você é um gestor de academia, deve ter contato com outros gestores e deve saber que, em meio a todo heroísmo de sua jornada empreendedora, existe algo em comum entre vocês: 

Vocês reclamam. 

Não sem razão, pois quando mencionei “heroísmo na jornada empreendedora”, isso é a mais pura verdade: empreender no Brasil, hoje, ainda mais no mercado de fitness, é algo que só sendo herói para encarar!  

A questão é que, uma das reclamações mais comuns é a de que “não existe mais professor bom no mercado”. 

Isso é verdade ou mentira? E se for verdade, a culpa é de quem? 

Vamos ver?

O que aconteceu com os bons profissionais de educação física? 

Esta pergunta tem cara de “pegadinha”… e é! 

Até porque, muitos gestores e donos de academia também são profissionais de educação física. 

Então, se generalizar esta questão, de que não existem mais bons professores e profissionais de educação física, teremos que admitir que a qualidade dos gestores também piorou ao longo do tempo. 

Então, como diziam os antigos, “nem tanto ao mar, nem tanto à terra”. 

Ao longo do tempo, muita coisa piora e muita coisa piora. 

A grande questão é quem consegue se adaptar aos novos tempos. 

Quer ver o maior exemplo? 

O efeito das Low Costs nos professores de educação física 

Note que eu não estou falando do efeito das Low Costs no mercado de fitness, a questão é um pouco mais específica. 

Aqui, trata-se de analisar como o surgimento deste modelo de negócio afetou os professores de educação física, seu planejamento de carreira e até mesmo suas aspirações. 

Quando uma grande rede de academias lançou a sua bandeira com essa proposta, a primeira coisa que se disse foi que isso iria acabar com o mercado e que os professores iriam ficar sem emprego. 

No episódio do Evo Cast que gravamos com o Marcos Tadeu, sobre este tema, abordamos este fenômeno e sobre os professores, ficaram dois insights muito interessantes: 

1- O emprego numa rede low cost acabou se tornando aquela alternativa similar ao primeiro emprego, muitas vezes chamada de “mc job”, o emprego no McDonald’s, ou seja, um momento em que você precisa partir de algum lugar. 

2- Com o nivelamento do serviço que acabou ocorrendo com a chegada das low costs, quem acabou se destacando? Sim, ele: o bom professor! Aquele que se dedica, que estuda, que tem interesse em entregar o melhor resultado para o seu aluno. 

Por isso, podemos concluir que as low costs não acabaram com os empregos dos professores de educação física. 

Mas certamente, tiraram do mercado muito profissional ruim. 

Ou acomodados, como os que fazem a seguinte afirmação: 

Todo mundo agora quer ser personal trainer.

Isso não é totalmente verdade, mas ainda que fosse, eu pergunto: qual o problema? 

A figura do Personal Trainer, para o mercado de fitness, trouxe aspectos muito positivos: 

⇒ Especialização

⇒ Entrega de resultados

⇒ Individualização

⇒ Marketing Pessoal

⇒ Empreendedorismo 

Fora isso, o Personal Trainer trouxe também a ideia de que é plenamente possível ser bem sucedido como professor de educação física. 

Ou seja, não há mal nenhum em todo mundo querer ser Personal Trainer. 

As pessoas só precisam saber que nem todo mundo pode ser um Personal Trainer. 

E não digo que exista alguma restrição no exercício da profissão, é apenas a questão de que, para você ser o profissional que entrega resultados acima da média e cobra um valor pelo seu serviço acima da média, precisa ser um professor acima da média

Isso significa que existe uma jornada para o professor de educação física percorrer até se tornar um Personal Trainer. 

E essa jornada pode muito bem ser em sua academia. 

Onde eu posso encontrar o profissional ideal? 

Esta pergunta é ótima! 

No episódio do EVOCast que tratamos de Gestão de Pessoas com a Cris Santos, a conclusão clara é a de que este profissional ideal, que é o objeto de desejo de todo gestor de academia, não está dando sopa no mercado. 

Por isso, a alternativa para ter o profissional ideal em sua academia pode ser, pode ser contratar alguém que já esteja empregado em outra academia. 

Ou fazer aquilo que muito gestor de academia deveria fazer: formar, conforme suas convicções, sua filosofia de trabalho e cultura de sua academia, aquilo que você julga o profissional ideal. 

Sim, dá trabalho. 

Ensinar, formar, transformar alguém dá muito trabalho. 

Mas é isso o que os grandes professores fazem. 

E por isso, merecem todas as homenagens nesse dia 15 de outubro, o Dia do Professor! 

Conclusão 

O mercado de fitness exige bons professores. 

Seja um deles. 

Se você, além de gestor, ainda dá aulas, seja um excelente professor para os seus alunos, para que eles tenham os melhores resultados em sua academia. 

Se você não dá mais aula, seja um professor dos seus professores. Faça com que eles se tornem os profissionais que você gostaria de buscar no mercado. 

Os seus clientes e alunos agradecerão. E o mercado de fitness estará, cada vez mais, bem servido de ótimos profissionais. 

Um feliz Dia do Professor para você!